Hip Hop 0

60

minutos

Nível 0
Limite de Participantes
Professores

Ligada a estilos de dança sociais ou coreografados, a dança está intimamente relacionada à música e à cultura Hip Hop, incluindo uma grande variedade de estilos, especialmente breakdance, locking e popping, os quais foram desenvolvidos na década de 70 por afros e latino-americanos. O que diferencia o Hip Hop de outros tipos de dança é o freestyle e o facto dos bailarinos estarem frequentemente envolvidos em batalhas – competições de dança formais ou informais. Sessões informais e batalhas de freestyle são geralmente realizadas em uma Saifer, um espaço de dança circular que se forma naturalmente quando a dança inicia. Os três elementos – freestyle, batalhas e Saifers – são os componentes da dança hip hop

Com mais de trinta anos de existência, a dança hip hop tornou-se amplamente conhecida após os primeiros profissionais de breakdance e locking, e os grupos de popping. Destes, os mais influentes são o The Lockers, o Rock Steady Crew e o Electric Boogaloos, os quais são responsáveis pela propagação do locking, breaking e popping, respectivamente. Estes estilos foram desenvolvidos por técnicos bailarinos especializados que desejavam criar uma coreografia para a música hip hop, mas atualmente estas danças são também executadas na rua. Por causa disto, a dança hip hop é praticada tanto na rua como em lugares fechados.

Internacionalmente, a dança hip hop sofreu uma forte influência da França e da Coreia do Sul. A França é o berço da tecktonik, um estilo de dança de casa que se apoia fortemente no popping e no breaking; e do Juste Debout, uma competição de dança internacional. A Coreia do Sul é a casa da disputa de breakdance chamada R-16 Korea, a qual é patrocinada pelo governo e é transmitida anualmente pela televisão. O país constantemente produz habilidosos b-boys que são designados a serem embaixadores da cultura coreana.[5]

Para alguns, a dança hip hop pode ser apenas uma forma de entretenimento ou um passatempo. Para outros, tornou-se um estilo de vida: um caminho para ser ativo na aptidão física ou na dança competitiva; e uma maneira de ganhar a vida a dançar profissionalmente. [6]

Hip-hop é um movimento cultural iniciado no final da década de 1960 nos Estados Unidos como forma de reacção aos conflitos sociais e à violência sofrida pelas classes menos favorecidas da sociedade urbana. Surge como uma cultura das ruas, um movimento de reivindicação de espaço e voz das periferias, traduzido no Rap com letras questionadoras, no Graffitie nos muros das cidades e na Dança, com movimentos fortes, marcados e espectaculares. Apesar de muitas vezes conotado com um lado agressivo o Hip-Hop expressado na dança mostra a sensibilidade dos interpretes e acaba por ser visto como uma nova vertente de dança, com técnica, com exigência de treino e daí ser levado das ruas para dentro de academias e escolas de dança. Nas nossas aulas ao ritmo da música Hip-Hop, que hoje é tão conhecida e apreciada pelas crianças e jovens, pretendemos tomar consciência dos movimentos e ritmos possíveis no nosso corpo, bem como desenvolver capacidades como força, equilíbrio, coordenação, musicalidade e noção espacial através da aprendizagem de alguns movimentos básicos e composições coreográficas simples, precisamente adaptadas às idades e experiência dos alunos. Resistência e auto-estima são também dois elementos muito importantes a desenvolver na prática das aulas de Hip-Hop.

A vertente dança no Hip Hop tem também esse cariz social e cultural, tendo sido um dos maiores impulsionadores a retirar crianças e jovens da rua e dos comportamentos-desvio em todo o mundo.
É uma dança que se baseia em 3 técnicas diferentes: Bboying, Locking e Popping. Estas vertentes mais tarde dão origem ao Hip hop (também conhecido por New Style), uma dança cheia de dinâmica em que a musicalidade é trabalhada ao pormenor. Acessível a todos, é uma forma de expressão muito completa que trabalha o corpo (ao nível cardio-respiratório e muscular) e a mente.